O Evento

O evento consisto na integração de tecnologia, cultura e artes para promoção de um modelo de educação e geração de habilidades sociais, desenvolvendo assim uma forma harmônica de aprender e a lidar com os resultados da tecnologia. No evento além de uma programação artística cultural e palestras sobre tecnologia, também será realizada a etapa estadual da Olimpíada Brasileira de Robótica - OBR 2016 que este ano será na cidade de Parnaíba – PI.  Esta será a primeira edição do evento e também a primeira vez que a etapa estadual da OBR ocorre fora da capital. O evento é gratuito. Para receber certificado é necessária a inscrição.

Venha prestigia a robótica do estado do Piauí, juntamente com nossa arte e cultura.

 

A OBR

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) é uma das olimpíadas científicas brasileiras apoiadas pelo Governo Federal, que se utiliza da temática da robótica, para estimular os estudantes de Ensino Fundamental, Médio e Técnico as carreiras científico-tecnológicas. É gerida e organizada, voluntariamente, por professores e pesquisadores da área de Robótica de renomadas Universidades Brasileiras que formam, atualmente, o Conselho Superior da OBR.

A OBR possui duas modalidades que procuram adequar-se tanto ao público que nunca viu robótica, quanto ao público de escolas que já tem contato com a robótica educacional. A Modalidade Prática, Etapa Estadual, acontecerá nos dias 26,27 e 28 de agosto e a etapa regional ocorrera em outubro em Recife.

Anualmente a OBR elabora e gere a aplicação de provas teóricas e práticas em todo o Brasil utilizando essa temática. A OBR destina-se a todos os alunos de qualquer escola pública ou privada do Ensino Fundamental, Médio ou Técnico em todo o território nacional, e é uma iniciativa pública, gratuita e sem uns lucrativos.

 

Programação

 

 Contatos

Gildário Dias Lima

Coordenador Geral - 086 9 9922 0150 - gildario@ufpi.edu.br

Marina Souza Medeiros

Coordenadora de Arte - 086 9 9900-7008 - marinamedeiros.art@gmail.com

Joanson Milton Azevedo Sousa

Coordenador de Logística - 086 9 9442-4883 - joansonsousa@hotmail.com

08
Dezembro

A problemática da L.E.R

Publicado em Neurofísica

Objetivo do projeto

Desenvolver um aplicativo para smartphones que objetiva orientar e conduzir exercícios e terapias para precaução e reabilitação das síndromes Lesão por Esforço Repetitivo (L.E.R) e Dor Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (D.O.R.T), interagindo com o aparelho e suas funcionalidades de movimentação.

Relevância da proposta

Primeiro aplicativo do mundo que utilizará de maneira dinâmica, controlada e acessível o uso de tecnologia móvel para ginástica laboral em trabalhadores com alta tendência de estimular as síndromes L.E.R e D.O.R.T.

Benefícios da proposta

Atender com eficiência e minimizando custos toda comunidade carente de artesãos da cidade de Parnaíba, promovendo qualidade de vida à 

Identificação da Proposta 

Atualmente, é crescente a intervenção da Tecnologia da Informação nos mais diversos segmentos de ações humanas, permeando setores que vão desde aplicações no dia a dia no trabalho, bem como na saúde e, de maneira geral, na promoção da qualidade de vida.  A Tecnologia da Informação revoluciona desde concepções básicas que envolvem a acessibilidade entre os seres humanos à criação de ferramentas que dispensam ou minimizam o esforço físico em função do uso de computadores ou máquinas para desempenho de tarefas. O resultado é uma nova forma de pensar o trabalho e as atividades do cotidiano. 

Não há limites para intervenção de tecnologias; sabe-se apenas que a cada momento é possível criar novas soluções e com as mesmas minimizar custos e atingir as melhorias esperadas na qualidade de vida. Seguindo este caminho, é possível abordar problemáticas comuns sob uma perspectiva moderna e atual, desenvolvendo soluções baseadas em pesquisa e tecnologia. 

Nosso propósito é unir uma problemática social corriqueira em todos os lugares que trata da necessidade que muitas famílias de baixa renda têm em desenvolver como fonte principal de recurso sustentável o artesanato. Principalmente em Parnaíba, esta prática é bastante comum. A maior crítica é que, muito embora, o artesanato represente um vetor cultural que, sem dúvidas, agrega valores locais peculiares a cada região, ao tempo que significa tanto para a identidade de um povo, é também desvalorizado e não possui sequer uma infraestrutura adequada para seu funcionamento. 

Esta problemática social de desvalorização facilmente é acessada, conhecendo-se os provedores de artesanato local, suas condições de trabalho e a luta diária para o sustento das famílias envolvidas nesta atividade. Quando se trata de atividades que envolvem o artesanato, algo tão peculiar e representante da individualidade humana e da capacidade de projeção através da cultura e da arte, basicamente, o que se observa é que as principais ferramentas são as habilidades e a criatividade, sendo incoerente pensar-se fazer um artesanato industrial, já que isso torna inadequada a própria concepção de artesanato como uma manifestação artística, individual e peculiar a cada um ou região.

Desta forma, o mínimo que deve-se buscar é instruir os profissionais para cuidados básicos com a saúde e as consequências oriundas de cada atividade. Outro fator importante, é a criação de mecanismos e a estrutura para que estes cuidados possam ser alcançados. Dentre as várias questões que circundam as atividades de artesanato, algumas síndromes são preocupantes por serem capazes de invalidar precocemente o desenvolvimento das mesmas, cerceando não somente, na maioria das vezes, a fonte de recursos que sustenta uma família, bem como gerando uma má qualidade de vida devido à má assistência em saúde a qual o País possui.

 Este projeto almeja desenvolver mecanismos por meio de Tecnologia da Informação que possam contribuir para a correção dos danos físicos, devido às atividades de artesanato, bem como agregar mecanismos que possam evitar tais danos nos indivíduos que ainda se apresentam ilesos. Acima de tudo, busca-se produzir uma ferramenta acessível a custo zero para os profissionais que utilizam estas atividades para sobreviverem.

Serão estudadas as síndromes L.E.R e D.O.R.T, assim como será desenvolvido um mecanismo baseado em Tecnologia da Informação para auxiliar os artesãos na prevenção e tratamento destas síndromes que estão presentes em aproximadamente 91% dos que praticam esta atividade em Parnaíba.

 

Qualificação do tema

O trabalho ocupa um espaço muito importante na vida de todo indivíduo, sendo que, muitas vezes, passa-se mais horas dentro de local ocupacional do que em casa, resultando na necessidade da criação de propostas diferenciadas para melhoria e incentivo da qualidade de vida do trabalhador ativo.  Notadamente, é ignorado o fato de que um trabalhador produz melhor quando há um equilíbrio harmônico entre seu desempenho profissional e estabilidade físico-mental, que, não necessariamente, será suprido por benefícios como recompensas salariais e acréscimos. 

Atualmente, em um país como o Brasil, a preocupação com a qualidade de vida voltada para o empregado é muito escassa, embora já seja observável este cuidado em algumas empresas e instituições de ponta. A maior parte ainda persiste em conduzir seus planejamentos baseados no que os trabalhadores podem produzir, não investindo em melhorias para promover a qualidade de vida de seus funcionários.

Neste sentido, o maior promotor isolado de saúde que não os medicamentos - o exercício físico - é também o primeiro a ser abandonado ao haver a inserção no mercado de trabalho. A partir daí, mais da metade dos dias úteis dos cidadãos são despendidos no trabalho e em seus trajetos de ida e volta. (MELLO, 1991 apud SOUZA, 2003).

Deste modo, percebe-se uma maior degradação física do trabalhador, inicialmente pelo modelo produtivo a que estamos submetidos e, segundo, pela pouca atenção que estes trabalhos recebem. Contudo, existe um crescimento, embora ainda lento, do pensamento no meio empresarial de que a melhoria da qualidade de vida dos funcionários está intimamente ligada à maior produtividade, de forma que investir no capital humano deve fazer parte de toda empresa na atualidade.

Duas palavras-chave são utilizadas para a compreensão deste fenômeno –melhoria da qualidade de vida do trabalhador - que está se difundindo no ambiente laboral contemporâneo: a LER (Lesão por Esforço Repetitivo) e a DORT (Dores Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho). O combate pelo entendimento aprofundado sobre as queixas físicas dos trabalhadores e suas consequências, inicialmente foco da atenção apenas de profissionais da segurança e da saúde do trabalho, no decorrer da evolução histórica, passa a ser preocupação também de sindicatos, empresários, governo, ONG’s, pesquisadores, associações de trabalhadores lesados, poder judiciário, entre outros.

Frente à complexidade dos fatores contributivos envolvidos na gênese deste fenômeno, a sociedade busca soluções e adequações de toda a sorte, que passam por diversos ramos de atividade e do conhecimento. Uma destas soluções é a ginástica laboral (GL), também chamada de ginástica de pausa que, segundo Carvalho (2004), nada mais é do que a prática da atividade física orientada e dirigida durante o horário do expediente e no local de trabalho, isto é, existe uma pausa para que possam ser realizados exercícios físicos que visam benefícios pessoais e no trabalho. Tem como principal objetivo minimizar os impactos negativos, oriundos do sedentarismo na vida e na saúde do trabalhador.

Neste âmbito, o estudo tem como objetivo específico demostrar os efeitos da inserção da ginástica laboral nas associações artesãs, como meio para a melhoria da qualidade de vida do trabalhador. Além disso, visa observar como a GL vai reduzir e prevenir as lesões causadas por movimentos repetitivos, através da utilização do aplicativo que auxilie na execução de exercícios, tendo em vista a promoção do relaxamento muscular, correção da postura e os movimentos redundantes que os trabalhadores realizam durante o trabalho.  

Apoio

    

Outros Itens OBR