Laboratório

Laboratório (3)

16
Novembro

 

Laboratório de NeurofísicaO Laboratório de Aplicações em Neurofísica (LANF) surgiu da necessidade em desenvolver pesquisas científicas com intersecções entre as bases da Física, da Tecnologia da Informação, da Fisioterapia e da Biotecnologia, com ênfase principal em Neurofísica. Situado no Campus Ministro Reis Velloso, da Universidade Federal do Piauí, o LANF transcende a um espaço físico ou infraestrutura, dando lugar a uma conjectura conceitual, onde estão presentes o amor e a responsabilidade pela pesquisa em todos os seus componentes.

O Piauí e, em particular, o Campus Ministro Reis Velloso, tem se destacado continuamente na formação dos cursos relacionados à saúde e pesquisas tecnológicas voltadas a fármacos. Dentre estes vetores de destaque, temos o curso de fisioterapia, formando profissionais com qualidade. Outro ponto a destacar são os resultados obtidos pelo Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia, existente há alguns anos no campus, onde há o desenvolvimento de pesquisas pioneiras e a revelação de grandes potências referentes à produção de biofármacos, com a utilização de matéria-prima local. Todo este cenário estimula o desenvolvimento crescente das atividades do campus para pesquisas.

Quando se fala em neurofísica, muitos são os assuntos interdisciplinares capazes de envolver as mais diversas áreas existentes no campus. De maneira particular, a neurofísica soma, de forma extraordinária, concepções e avanços aos núcleos de Ciências Biomédicas e Biotecnologia. Desta forma, o contexto da física pode ser somado ao desenvolvimento de muitos estudos, com diversos resultados. O amplo espectro a que a neurofísica insere-se torna possível revolucionar sob infinitos potenciais de descoberta e aproximar os cursos de fisioterapia, psicologia e matemática, interagindo conjuntamente por meio do comportamento cerebral, o que faz surgir uma sinergia de produção científica bastante relevante e, exatamente, para que esta sinergia seja palpável é que constitui-se o LAN. Formado por estudantes e pesquisadores interessados em estudar o vasto caminho da neurociência, buscamos a cada novo trabalho e linha de pesquisa, contribuir com todo nosso potencial teórico e tecnológico para o crescimento da Ciência no estado do Piauí e, consequentemente, no mundo. Dentro de uma infraestrutura um pouco limitada, buscamos a superação no potencial criativo, desenvolvendo e estimulando o espírito de cientistas apaixonados por inovar e, dentro do possível, conseguir a cada dia um espaço maior no contexto científico e acadêmico mundial.

O LANF, atualmente, desenvolve estudos neurofuncionais e perceptivos, utilizando como principal instrumento de medida o eletroencefalograma que, a partir das análises físicas e matemáticas de suas medidas, esperamos em conjunto com as concepções da Física, construir modelos, desenvolver técnicas, ferramentas e explicar fenômenos em toda árvore da neurociência a que se vincula este conteúdo.  Toda parte de modelagem é desenvolvida com abordagens em teorias da Física, com a utilização de ferramentas de Tecnologia da Informação. Ainda, de maneira muito tímida, iniciamos nossos trabalhos de robótica com a utilização de plataformas de automação, como o arduíno, por exemplo, e alguns trabalhos começam a surgir com resultados pioneiros, aplicáveis e interessantes na área. Em uma linha mais física/psicológica, abordamos estudos como o time perception (percepção do tempo), por uma concepção de tempo a partir do processamento neural de indivíduos, entendendo, assim, diferenciações entre o tempo de laboratório (tempo cronometrado) e a concepção de tempo a partir da interpretação neural.

 

Em resumo, as linhas de pesquisa do LANF são:

 

•Neurofísica aplicada a modelos de interpretação e percepção do tempo;

 

Estudo da percepção do tempo, mediante o desenvolvimento de atividades ou estímulos sensoriais, sob alguns dos sentidos. O estudo é baseado numa descrição física/matemática das captações do EEG, com a utilização de automações de Tecnologia de Informação, usando algoritmos.

 

•Interface Cérebro/Máquina;

 

Desenvolvimento de interface cérebro/ máquinas, ativadas por excitações (estímulos) neurais captadas pelo EEG e transformadas em comandos lógicos mecânicos por meio de uma interface, como por exemplo, o uso de arduínos, sensores e mecanismos de ações.

Projetos

Física e Nanotecnologia
Física e Educação
Robótica Aplicada
Neurofísica
Sistemas Complexos