06
Março

TIME PERCEPTION MECHANISMS AT CENTRAL NERVOUS SYSTEM

Escrito por 
Publicado em Neurofisica

Rhailana Fontes, Jéssica Ribeiro, Daya S. Gupta, Dionis Machado, Fernando Lopes-Júnior, Francisco Magalhães,   Victor Hugo Bastos, Kaline Rocha, Victor Marinho, Gildário Lima, Bruna Velasques, Pedro Ribeiro, Marco Orsini, Bruno Pessoa, Marco Antonio Araujo Leite, Silmar Teixeira. Neurology International 2016; volume 8:5939 - http://dx.doi.org/10.4081/ni.2016.5939

 

The five senses have specific ways to receive environmental information and lead to central nervous system. The perception of time is the sum of stimuli associated with cognitive processes and environmental changes. Thus, the perception of time requires a complex neural mechanism and may be changed by emotional state, level of attention, memory and diseases. Despite this knowledge, the neural mechanisms of time perception are not yet fully understood. The objective is to relate the mechanisms involved the neurofunctional aspects, theories, executive functions and pathologies that contribute the understanding of temporal perception. Articles form 1980 to 2015 were searched by using the key themes: neuroanatomy, neurophysiology, theories, time cells, memory, schizophrenia, depression, attention-deficit hyperactivity disorder and Parkinson’s disease combined with the term perception of time. We evaluated 158 articles within the inclusion criteria for the purpose of the study. We conclude that research about the holdings of the frontal cortex, parietal, basal ganglia, cerebellum and hippocampus have provided advances in the understanding of the regions related to the perception of time. In neurological and psychiatric disorders, the understanding of time depends on the severity of the diseases and the type of tasks.

Keywords

Time perception; time cells; memory; psychiatric diseases

 

Ler 2035 vezes Última modificação em Domingo, 17 Abril 2016 15:47
Avalie este item
(0 votos)
Gildário Lima

Sou físico, com Graduação e Mestrado pela Universidade Federal do Piauí e Doutorado pela Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ.  Sou Professor do departamento de Matemática da Universidade Federal do Piauí – UFPI (Campus de Parnaíba) e, atualmente, Coordenador de Planejamento do campus.  Além de atuar na pesquisa, no ensino de Física e no processo de crescimento e desenvolvimento da instituição da atual gestão, dedico-me a projetos particulares de P&D, junto à empresa foxinline.com, na qual sou sócio consultor. Unir a necessidade de uma estrutura adequada à possibilidade de ações e mudanças que projetem de maneira conveniente nosso potencial de pesquisa tem dividido meu tempo em organizar, ensinar e produzir cientificamente. Um dos resultados recentes aos esforços de produzir ciência, foi a criação da parceria que originou o GEANPI – Grupo de Estudos Aplicados a Neurociência do Piauí. Acredito que o desenvolvimento e bons resultados, são frutos do processo de união e pensamento coletivo. A tarefa de desenvolver índices e construir um cenário de qualidade na pesquisa brasileira não é fácil.  Apaixonado por ciência, estou sempre tentando contextualizar meus pontos de vista e construindo um padrão mais intuitivo de alocação de ideias e aplicações. Gosto de boa música, principalmente as que valorizam as raízes brasileiras como MPB e Baião. Como cientista, não me limito a minha área de formação; outras vertentes também chamam minha atenção, tais como: Filosofia e Psicologia. Neste caminho, junto ao trabalho que faço de P&D, mantenho sempre uma corrente acadêmica, levando meus resultados e considerando-os fundamentados o mais próximo possível deste ambiente.  Neste espaço, busco criar um cenário de atuação dinâmica entre o que faço e as pessoas que, de alguma forma, interagem com minhas ações e/ou que buscam interesses comuns aos meus. Mais detalhes e informações pessoais podem ser acessados diretamente em minha página pessoal: gildario.com.

Website.: gildario.com

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.